Banner

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Alemanha humilha e acaba com o sonho do Brasil conquistar o Hexa em casa

Na tarde de ontem(8/7), aconteceu o embate entre Brasil x Alemanha na Arena do Mineirão. O Brasil começou o primeiro tempo melhor que o seu adversário pressionando durante os dez primeiros minutos, no entanto, depois deste tempo a Alemanha mostrou a sua organização tática e força, e fez cinco gols calando o Mineirão e todo o Brasil que sonhava com o Hexa e o primeiro título em casa. O inimaginável aconteceu: após o segundo gol, parece que uma apatia coletiva tomou conta dos 11 jogadores em campo e também do banco de reservas. O meio de campo da seleção (que não foi bem em nenhum jogo da competição) parou de funcionar. As laterais tornaram-se inoperantes e a zaga (considerada no início da Copa como "a melhor defesa do mundo"), simplesmente falhou quatro vezes com perdas infantis de bolas na frente da área do goleiro Júlio César, que tentou do jeito que pode, mas não conseguiu fazer milagre algum. Como tornou-se coro em toda a imprensa especializada, houve uma "pane geral" no maior campeão de todas as Copas e o resultado, que não precisa de mais nenhuma descrição, foi desastroso! Os gols foram marcados por Müller aos 11 minutos, Klose aos 22 (este atacante superou o recorde histórico de Ronaldo de maior goleador nas Copas. Agora, o veterano artilheiro alemão soma dezesseis gols em mundiais); Kroos aos 23 e 24 minutos e Khedira encerrou o massacre do primeiro tempo aos 28 minutos. Quem imaginava que o segundo tempo seria diferente, se enganou, pois a equipe europeia ainda fez mais dois gols com Schürrle aos 23 e aos 34 minutos. O Brasil fez o seu gol de honra com Oscar e o duelo acabou 7 a 1 para a Alemanha que vai à final para decidir o título no próximo domingo(13/7) no Maracanã contra a Argentina ou Holanda. Esta foi a pior derrota do Brasil em toda a sua história centenária. A seleção canarinho decidirá o terceiro lugar no próximo sábado(12/7) na Capital Federal contra o perdedor de Argentina e Holanda que se enfrentam hoje(9/7) às 17h. Apesar do vexame, a vergonha ainda poderá piorar, caso o Brasil perca no sábado se o opositor for a Argentina. Depois desta Copa ficarão as perguntas: o técnico Felipão continuará no comando? Se não: quem será o substituto? Quais os jogadores que não atuarão mais pela seleção e quais os novatos que vestirão a camisa amarela? No frigir dos ovos, uma constatação: esse time do Brasil mostrou-se frágil emocionalmente desde as cobranças de pênalti contra o Chile nas Oitavas de Final. Além de insegura, a equipe figurou com um esquema ineficaz focado sempre no ´anjo salvador´ Neymar, sem dúvida alguma, um craque de bola, mas que não decide tudo sozinho e também não se firmou como um camisa 10 clássico, capaz de prever os melhores caminhos rumo ao gol e, após isso, criar jogadas e distribuir passes aos atacantes. Pra finalizar, não adianta colocar mais um prego nas mãos do já crucificado Fred, mas o fato é que o atacante matador do Fluminense fez pífia participação no mundial. Culpa dele? Creio que não. E sim do esquema tático surreal privilegiando só e somente só o Neymar como o ´salvador da pátria´. Nesse penúltimo jogo da Seleção, venceu o mais competente. Esta Alemanha (que possivelmente será a vencedora do torneio) treina junto e com afinco há anos. Se divertiu no mundial refugiando-se num paraíso baiano e concluiu a sua preparação debaixo do sol escaldante sempre às 13h e o resultado foi a bola no pé bem redondinha, coisa que no passado era característica bem marcante do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário